Skip navigation


Na ausência de alguma coisa que tenha interesse para mim, passo a listar as coisas que andam por ai e que não me interessam nada:

1) a tríade das intrigas da política, futebol e anúncios de cerveja: para mim é tudo a mesma coisa, tem a mesma ideologia como base e debruçam-se sobre tudo o que pouco importa, que parece definir este tipo de intrigas. Espera aí! pouco importa, a não ser que o importante seja tentar ser-se actor social do senso-comum; tentar ter uma boa vida nocturna nas ‘danceterias’ e discotecas (e noutros sitios onde não se fala muito); tentar socializar-se com pessoas com idades até 17/18 anos (embora muitas vezes, esta vá até mais longe); tentar ser-se amigo de pessoas com idades superiores a 50 anos; tentar arranjar boa conversa na tasca ou lá na ‘churrascada’ com a família x ou y.
Isto faz de mim arrogante ? é possível e pouco me importa, é confortável achar arrogante quem não gosta do que gostamos. O que faz com que sejamos todos grandes arrogantes.

2) Sobre a peregrinação a fátima (já não é tão actual): porque acho uma apologia à idiotice de todas as formas e sentidos. O que é mau, porque até é um local simpático (se excluirmos grande parte de quem vai ou mora lá).

3) Bom.. e nisto já me esqueci de qualquer outro assunto que ‘ande por aí’. Penso que isto resume o que anda por aí.

ah! 4) sobre os donos de grandes empresas e respectivas intrigas: porque é uma mitificação de algo tão banal como dizer ‘olá, boa tarde!’ e está a denegrir o que a publicidade poderia ser. Porque caso ainda ninguém tenha reparado (e é notório que pouca gente repara nisto), os meios de comunicação social são espaços publicitários para esses e outros assuntos que não exigem efeitos especiais, emissão de sensações e narrativas mais elucidativas. E fica barato (mais concretamente, a 0€).

Outra coisa que não me interessa e também não percebo, é a vontade das pessoas cantarem. Por que raio é que de tempos em tempos surge um programa que quer lucrar com a palhaçada que as outras pessoas fazem a tentar cantar ? E porque raio é que lá participa tanta gente ? Será que não percebem que vão ser ridicularizadas ? e que só um palhaço no meio da metade de portugal que lá participa, é que ganhará um prémio/promessa falsa qualquer?

O pior é que estes assuntos não se propagam só pelos ‘meios de comunicação social’, vai-se a qualquer lado e fala-se do mesmo. Porque afinal de contas não se pode ser diferente dos outros. Diferente é ‘mau’, à que estar é na mesma ‘onda’ do ‘povo português’, da aldeia (com exepção de Lisboa e Porto, mas só ‘mais ou menos’) Portugal, coisa que vou descubrindo (e ainda incrédulo) à medida que vou interagindo com os vários contextos deste país.

entretando, se me lembrar de mais coisas, vou adicionando :P

4 Comments

  1. Por acaso tenho andado para fazer um post sobre futebol. Mais concretamente sobre a Selecção – interrogando-me sobre se serei o único a achar que teríamos mais a ganhar com a sua extinção. É sem dúvida uma ideia muito pouco popular. Não se deve ser bom cidadão nem bom chefe de família se não se apoiar a selecção a 110%…

    • drkosmos
    • Posted Maio 19, 2008 at 1:57 am
    • Permalink

    Popular, não é mesmo :D
    escreve isso, quero saber o teu porquê. Se for porque isso dá relevo e asas a vidas supérfluas, as pessoas iam sempre acabar por arranjar outra coisa tão superficial, e como tal, fácil de lidar e aceitar. De facto, neste post referi o meu ponto de vista sobre alguns assuntos, mas o que é certo é que se as coisas que listei como possíveis prioriades e importâncias no ponto 1, trazem dinheiro e/ou felicidade às pessoas, parece-me muito bem. Só não se adequa é a mim ;)

  2. Não, não tem a ver com a superficialidade – é como dizes, se isso os faz felizes, pouco me importa como cada um gasto o seu tempo.
    Eu falei de selecção e não de futebol. É que é o dinheiro dos nossos impostos – é o nosso suor! – que lhes paga as contas. Como não vejo nenhum proveito nessa estravagância que é a selecção (quer ganhem quer percam!), preferia que se acabasse com isso.
    Outra possibilidade, seria a de cada um de nós poder indicar expressamente em que áreas deveria ser gasto a sua contribuição mensal para o estado!

    • drkosmos
    • Posted Maio 20, 2008 at 2:07 am
    • Permalink

    nem quis acreditar quando li a tua resposta (só agora é que pude responder), é que há uns dias comentei com a Guida isso de podermos escolher para onde as nossas contribuições ao estado deviam ser empregues :)
    Nem nunca pensei que esse dinheiro tb fosse para a selecção, e de facto soa a disparate :|


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: