Skip navigation

Eis, em principio (!), a última marca que vou adicionar à colecção ‘Bicicletas Espectaculares’.

A Surly – que não fica em Inglaterra como pensava – não é uma marca que chame especial atenção à maioria das pessoas que andam de bicicleta. Não têm modelos de alumínio, carbono e escandio; não usam decorações garridas (parolas para alguns); têm tubos finos; não pretendem ilustrar a ideia de que uma bicicleta não serve somente para transportar os pobres; Não têm suspensões supersónicas .. Enfim, não prendem o olhar guloso que parece definir o humano contemporâneo. A não ser, claro está, de quem procura essas mesmas características numa bicicleta e não se importa de montar uma, peça a peça.

Surly Pugsley, de Vik Approved (http://www.flickr.com/people/vikapproved/)

Surly Pugsley, de Vik Approved (http://www.flickr.com/people/vikapproved/)

Mas o que me faz destacar a Surly, não foram os quadros de aço e uma atitude do quotidiano que estes reflectem. De facto, a Surly nem precisa de ninguém para a destacar (tal com as restantes marcas), o que fazem é suficiente. Vou por isso passar a enumerar alguns aspectos que considero únicos nesta marca:

– Sim, a atitude do quotidiano, até com alguma despreocupação de quem parece saber que as bicicletas servem para andar e não para serem olhadas, é um desses aspectos;
– Mas também temos os aros Large Marge, que conseguem albergar um pneu de 3,7″. É mesmo 3.7″, não de 2,7″;
– Uns pneus de 3,7″, chamados de Endomorph. E;
– um garfo e um quadro a condizer com este equipamento largo, com o nome de Pugsley.

Sendo que neste pacote único – porque não existe mais ninguém que os fabrique -, de pneus gordíssimos para uma bicicleta, um aro que o suporta, um quadro e um garfo que permitem que tudo consiga encaixar e andar, que está a verdadeira particularidade da proposta da Surly. E se parece estranho uma bicicleta com rodas de volume tão grande (mas com um peso bom para o tamanho), basta contextualizarmos as mesmas numa praia, lama ou no meio da neve, que passam a fazer imenso sentido. Também, embora mais invulgar, é vê-las a ser usadas noutros locais tais como em provas de cross-country (XC).

mark-and-charlie-on-ride1, tirada de www.wildfirecycles.com

Criador da Fatbike e o seu cão, tirada de http://www.wildfirecycles.com

Contudo, isto só por si não é, de facto, uma proposta realmente única. Já que a ideia de uma bicicleta com grandes pneus, remonta, ao que parece, ao Sr. Remolino do México, que modificava peças e quadros para conseguírem acomodar os gordíssimos pneus. Ideia que, posteriormente, foi apropriada e cristalizada na Fatbike pela Wildfire Designs, que usava os aros e pneus da Remolino nos seus quadros, os quais eram e continuam a ser, feitos por medida, juntamente com outras peças a ‘condizer’.
Aparentemente, a Surly foi a única marca a conseguir produzir tudo isto em massa e a um preço acessível. E é aqui que se encontra a verdadeira razão para que hoje, sejam a marca de bicicletas de pneus gordos.

O sr. leitor pode ainda encontrar um bom post sobre a história das bicicletas gordas aqui. Uma boa análise aqui, outra análise aqui. Vídeos aqui, aqui e aqui.

A Surly (link da Wikipédia) é uma empresa do Minnesota, EUA. Para quem está em Portugal, penso que o melhor local para arranjar uma (peça a peça) é na bike-components.de. Já as Fatbike da Wildfire Designs, localizadas no Alaska, EUA, não conheço quem as represente na europa.

2 Comments

    • usaralho
    • Posted Março 13, 2009 at 1:00 pm
    • Permalink

    Posso estar enganado mas penso que existem outras marcas que fazem bicicletas do mesmo género. Pelo menos lembro-me de ver uma foto ou outra no NAHBS deste ano. Seja como for, já ando de olho nessa bicicleta à muito tempo para experimentar brincar na lama. O dinheiro é que não quer nada com experiências!

    Bicicletas & Caminhadas, é preciso mais?

    • drkosmos
    • Posted Março 15, 2009 at 8:19 pm
    • Permalink

    Pois, a verdade é que embora a Surly produza essas bicicletas em massa, elas não são propriamente baratas. Lembro-me de ver, assim por alto, quanto custava uma com componentes da mesma gama do Sram X7 e aquilo ficava pelos 1700€ (acho).


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: